16 de jun de 2012

Notícia da Semana - Morte... Motivo: BRIGA

Filha viu ex-marido de irmã de Ângela Bismarchi invadir a casa armado

Jovem de 16 anos é filha adotiva de Angelina, irmã de Ângela.
'Foi uma ação premeditada, fria e cruel', afirma delegado. 

 

16/06/2012 16h53 - Atualizado em 16/06/2012 17h25

Filha viu ex-marido de irmã de Ângela Bismarchi invadir a casa armado

Jovem de 16 anos é filha adotiva de Angelina, irmã de Ângela.
'Foi uma ação premeditada, fria e cruel', afirma delegado.

Filha adotiva de Angelina Filgueiras deixando a delegacia (Foto: Bernardo Tabak/G1)Filha adotiva de Angelina Filgueiras deixa a delegacia após prestar depoimento (Foto: Bernardo Tabak/G1)
 
A filha adotiva de Angelina Filgueiras disse, em depoimento à polícia neste sábado (16), que presenciou a hora em que Márcio Luiz Dias Fonseca, ex-marido da vítima, irmã da modelo Ângela Bismarchi, invadiu a casa onde elas moravam, com uma arma em punho. Márcio entrou na casa, em Piratininga, Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, utilizando uma escada para chegar ao segundo andar e pulando a janela do quarto onde estava a menina.

Após a invasão, na noite de sexta-feira (15), a adolescente correu e se trancou no banheiro. Ela contou que ouviu os tiros, que terminaram com a morte de Angelina e Márcio. As informações são do delegado Gabriel Ferrando de Almeida, titular da 81ª DP (Itaipu), na Região Oceânica de Niterói.

De acordo com o delegado, Márcio teria parado o carro afastado da casa de Angelina, o que reforça a tese de um crime premeditado. “Foi uma ação premeditada, fria e cruel”, afirmou Ferrando.

“A jovem está muito abalada. Ela ficou em estado de choque”, acrescentou o delegado. “Ela presenciou o começo da luta corporal, mas depois ficou escondida, trancada no banheiro e não viu os tiros: só ouviu”, complementou Ferrando.


O delegado contou ainda que segundo o depoimento de Jolmar Alves Milato, namorado de Angelina, após a invasão, houve uma briga entre os três. Segundo o depoimento, Angelina, que era policial federal, acabou conseguindo desarmar o ex-marido.

“Jolmar contou que após Angelina dizer que se mataria caso a briga não parasse, ela teria disparado conscientemente contra o próprio peito”, afirmou o delegado.

Histórico de tentativas de suicídio
Segundo Ferrando, familiares de Angelina relataram informalmente que ela teria um histórico de outras tentativas de suicídio. “Ela estaria, psicologicamente, muito debilitada, devido às ameaças que viria sofrendo do ex-marido, que dizia que mataria ela e o namorado”, afirmou o delegado.
Após Angelina ter supostamente disparado contra si, Jolmar teria conseguido pegar a arma e deu três tiros em Márcio, que morreu na hora. Angelina chegou a ser levada para o hospital, mas já chegou morta.

Ainda segundo Ferrando, a maior dúvida agora é saber se Angelina realmente disparou contra si, ou se outra pessoa disparou contra ela. “Já recolhemos a arma do crime – uma pistola calibre nove milímetros –, requeremos as imagens das câmeras de segurança da casa e solicitamos exames de resíduos de pólvora nas mãos dos envolvidos no crime”, disse o delegado, acrescentando que o exame de resíduo de pólvora já foi pedido.
“Pelos depoimentos de vizinhos e do ex-namorado de Angelina, além de relatos informais de familiares, havia uma relação conflituosa entre ela e o ex-marido. E Angelina já teria tentado suicídio por duas vezes”, afirmou o delegado. “Jolmar vai responder por homicídio doloso. A esfera judicial vai decidir se ele agiu em legítima defesa”, concluiu o delegado.

Sentimento 'doentio'O cirurgião plástico Wagner de Moraes, marido da modelo Ângela Bismarchi, classificou de “doentio” o sentimento de Márcio Luiz Dias Fonseca, militar da Marinha, pela ex-mulher, Angelina Filgueiras, irmã da modelo.

Delegado que investiga o caso da morte de Angelina Filgueiras (Foto: Bernardo Tabak/G1) 
Delegado que investiga o caso da morte de
Angelina Filgueiras (Foto: Bernardo Tabak/G1)
 
De acordo com o cirurgião plástico, Angelina, de 42 anos, contava que o ex-marido, de 48, não aceitava a separação, há cerca de três meses, após 17 anos de casados. Eles tinham uma filha, hoje com 15 anos. “Na noite anterior ao crime, na quinta-feira (14), Angelina foi visitar a filha, na casa do Márcio, em Olaria (subúrbio do Rio). Eles discutiram e ele a agrediu. Ela estava com manchas roxas no braço”, contou Wagner.

Segundo Wagner, que mora no mesmo bairro de Angelina, na noite de sexta-feira (15), um vizinho o avisou que haviam sido disparados tiros na casa dela, e que a cunhada do cirurgião plástico e o ex-marido haviam falecido. “Eu havia falado com ela uns dez minutos antes, e a alertei de que o Márcio tinha me ligado dizendo que iria fazer uma visita”, recorda ele. “Foi uma loucura. Uma loucura. Ângela e Angelina eram as únicas mulheres de sete irmãos. Elas eram as melhores amigas”, lamenta o cirurgião.

 By: Rafaela

Nenhum comentário:

Postar um comentário