22 de abr de 2012

Sessão Esporte - Ultimate Fighting Championship (UFC) e Mixed Marcial Art (MMA)


O Ultimate Fighting Championship (UFC) é a maior organização de artes marciais mistas[3] (MMA). Inspirado por torneios de Vale Tudo de origem brasileira, é atualmente comandada pela Zuffa Entertainment. Lutadores desse esporte praticam diferentes artes marciais, tais como jiu-jítsu, boxe, luta livre olímpica, boxe tailandês, boxe chinês, caratê, tae kwon do, entre outras do mundo.


Os primeiros eventos foram inspirados no vídeo Gracie in Action, produzidos em série pela família Gracie do Brasil. Nos primeiros eventos, ocorreram torneios com oito ou dezesseis lutadores, promovidos pela organização de entretenimento Grupo Semaphore em associação com a Wow Promotions (liderada por Art Davie e Rorion Gracie), e tinha como intuito descobrir o melhor lutador do mundo, não importando o estilo de artes marciais praticado. Os competidores deveriam ganhar três lutas para se sagrarem campeões do Ultimate Fighting Championship. O primeiro evento, realizado em 1993, foi ganho pelo brasileiro Royce Gracie.
Por possuir poucas regras (no primeiro Ultimate só não era permitido morder ou colocar os dedos nos olhos do oponente), o Ultimate era conhecido como "luta de ringue sem restrições" (no holds barred fighting), sendo, ocasionalmente, brutal e violento, despertando muitas críticas.
Desde sua primeira edição, os eventos ocorrem em ringues com forma de octógono, fechado por uma grade. Nunca se registrou morte.


O Ultimate se tornou um sucesso da televisão na modalidade pay-per-view. A natureza do esporte logo chamou a atenção das autoridades e eventos do Ultimate foram banidos de diversos estados americanos. Após repetidas críticas e diversos protestos feitos pelo senador republicano do Arizona, John McCain, o Ultimate saiu dos principais pay-per-views. O Ultimate continuou a ser exibido no pay-per-view da DirecTV, porém com audiência bem menor.
Por essas pressões políticas que levaram à sua decadência, o Ultimate se reformulou. De forma lenta, foram sendo criadas mais regras limitando a violência do esporte, sob a supervisão de comissões atléticas, visando ao aumento da aceitabilidade social do Ultimate. Deixando de lado o slogan "não há regras" (there are no rules) e criando a denominação "artes marciais mistas" (mixed martial arts), o Ultimate ressurgiu de seu isolamento para se tornar mais socialmente aceitável, recuperando sua posição na televisão a cabo. Continuando a trabalhar com as comissões atléticas que controlavam a modalidade, eventos passaram a serem realizados em lugares menores como Iowa, Mississippi, Louisiana, Wyoming e Alabama. O Grupo Semaphore não conseguiu realizar vídeos do Ultimate 23 ao Ultimate 29. Junto com outros eventos nas seções americanas, o Ultimate conseguiu o primeiro evento sancionado de artes marciais mistas no dia 30 de setembro de 2000, em Nova Jersey.


Após uma longa batalha para ser sancionado e à beira da falência, o Grupo Semaphore se reuniu com os executivos do Station Casinos, Frank e Lorenzo Fertitta e o promotor de boxe Dana WhiteNevada ( Lorenzo Fertitta já havia sido seu membro), a Zuffa conseguiu assegurar aprovação para realizar lutas em Nevada em 2001. Pouco tempo depois, no Ultimate 33, a competição retornou ao pay-per-view da televisão a cabo americana. em 2001. Um mês depois, em janeiro de 2001, os Fertittas e Dana White compraram o Ultimate por 2 000 000 de dólares estadunidenses e criaram a Zuffa, empresa que passava a ter a patente controladora do campeonato. Tendo relações com a Comissão Atlética
O Ultimate continuou crescendo em popularidade após a compra pela Zuffa, devido a fortes propagandas, grandes patrocínios, a volta ao pay-per-view e à venda de DVDs. Com grandes eventos em lugares famosos como o Cassino Trump Taj Mahal e a MGM Grand Arena e com as vendas em pay-per-view voltando a crescer, o Ultimate conseguiu seu primeiro acordo na televisão com a Fox Sports e com o The Best Damn Sport Show, que realizou a primeira luta de artes marciais mistas na televisão a cabo americana, em junho de 2002, no Ultimate 37 (Vítor BelfortChuck Liddell). Em seguida, a Feature Story News passou a transmitir os melhores momentos das lutas. No Ultimate Quarenta, as compras de pay-per-view renderam 978 150 dólares estadunidenses em uma programação que tinha, como evento principal, a luta entre Tito Ortiz e Ken Shamrock. Apesar do sucesso, o Ultimate ainda apresentava dívidas e, em 2004, a Zuffa havia perdido 78 500 000 dólares estadunidenses com a compra. Atualmente, o valor de mercado do Ultimate gira em torno de 1 000 000 000 de dólares estadunidenses. versus


Após ser exibido em um "reality" show chamado "American Casino" , os irmãos Fertittas sentiram o marketing gerado por esse tipo de série e decidiram, então, que o UFC teria seu próprio "reality show", o The Ultimate Fighter (TUF). Varias emissoras rejeitaram o projeto, que foi aceito pela Spike TV. Com a oferta de arcar com os 10 milhões de custos com a produção, eles conseguiram fechar o negócio. Em janeiro de 2005, a Spike TV lançou a série, o show se tornou um sucesso imediato, tornando-se um dos programas com mais audiência da Spike TV, e transmitindo uma luta memoravel entre Forrest Griffin contra Stephan Bonnar nas finais, que ficou conhecida como a luta do ano. Depois dessa temporada, já ocorreram outras 12 e novas devem surgir.
Seguido pelo sucesso do reality show, a Spike TV levou ao ar o UFC Unleashed, uma hora de programa semanal, com lutas de diferentes eventos, e também assinou um contrato para transmitir o UFC Fight Night.
Com visibilidade alardente, os números de pay-per-view aumentaram exponencialmente. O UFC 52, primeiro evento após o The Ultimate Fighter, foi vendido para 280.000 pessoas pelo pay-per-view, quase o dobro de seu antigo recorde. A revenche entre Couture e Liddell no UFC 57 teve 410.000 compras de PPV. O Evento UFC 60 que contou com o brasileiro Royce Gracie teve nada menos que 625.000 compras de PPV. UFC 61, teve 775.000. Desde então as vendas do PPV do UFC não param de crescer. A média atual é de mais de um milhão de vendas por eventos, gerando $222,766,000 somente com vendas do PPV em 2006, superando o boxe e a WWE.
O UFC atualmente é exibido em 36 países, inclusive no Brasil, os organizadores pretendem expandir internacionalmente. O programa está sendo dublado em português com a direção de Ricardo Movits no Zen Studios em Brasília. Os eventos passaram a ocorrer também com regularidade na Europa, em países como Inglaterra, Alemanha e Irlanda. Também há planos para eventos regulares no Canadá e até boatos de edições no Japão.


Em março de 2007, os irmãos Fertitta anunciaram a compra do PRIDE Fighting Championships, prometendo manter ambos os eventos e possibilitar um intercâmbio de lutadores. Porém isso não aconteceu, nenhum evento no Japão ocorreu com a organização dos americanos, e o PRIDE foi extinto, tendo o UFC apenas incorporado parte de seus lutadores ao seu elenco. Alguns nomes do PRIDE acabaram indo para organizações menores. Com a extinção do PRIDE e a incorporação de alguns dos seus principais lutadores, o UFC tornou-se indiscutivelmente o mais prestigiado evento de MMA do mundo. Em 2008 foi criado o DREAM, evento japonês tido como o sucessor do antigo PRIDE.[4]
No mês de Outubro de 2010 o presidente do UFC e representante frente a Zuffa Dana White, anunciou que o WEC uma organização de lutadores de pesos inferiores a 70Kg, que pertence a Zuffa iria se fundir com o UFC, a fusão teve inicio oficial em 1º de janeiro de 2011 no UFC 125: Resolution.
Em 14 de Março de 2011, foi anunciado que a Zuffa comprou seu maior rival nos EUA o Strikeforce, o evento porém não será extinto de imediato, até onde o presidente do UFC Dana White afirmou, o evento ocorrera até o fim do contrato com o canal Showtime.[5]


No Brasil os eventos UFC são transmitidos ao vivo via pay-per-view pelo canal Combate e reapresentado pelo canal gratuito RedeTV! de 2009 até 2011. Em 28 de agosto de 2011, o UFC Rio teve transmissão ao vivo em TV aberta no Brasil pela RedeTV!, a emissora ficou em segundo lugar e alguns minutos na liderança em audiência nacional, fazendo as emissoras concorrentes terem interesse neste esporte.
Em 12 de novembro de 2011 foi a primeira transmisão pela Rede Globo, que será a detentora dos direitos na TV Aberta no Brasil, até 2012 serão transmitidas todas as competições do Brasil e três do exterior.[6][7][8][9]


Mais informações em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ultimate_Fighting_Championship

By: Rafaela 

Nenhum comentário:

Postar um comentário