7 de abr de 2012

Sessão Turismo - Pirâmides




Escolhi as pirâmides para nossa Sessão Turismo de hoje pois eu me fascino sobre o Egito... além de que na terça-feira, na aula de artes, nosso professor Kakay estava corrigindo alguns trabalhos que fizemos. Eram desenhos com as Pirâmides (assunto de hoje)
 e a Esfinge (próxima Sessão Turismo)


Necrópole de Gizé (em árabe: جيزة يسروبوليس), também chamada de Pirâmides de Gizé, Guizé ou Guiza, é um sítio arqueológico localizado no planalto de Gizé, nos arredores do Cairo, Egito. Este complexo de monumentos antigos inclui os três complexos de pirâmides conhecidas como as Grandes Pirâmides, a escultura maciça conhecida como a Grande Esfinge, vários cemitérios, uma vila operária e um complexo industrial. A necrópole está localizada a cerca de 9 km do interior do deserto para a cidade velha de Gizé, no Nilo, e cerca de 25 km a sudoeste do centro da cidade do Cairo, no local da antiga cidade egípcia de Mênfis. As pirâmides, que sempre tiveram grande importância como emblemas do antigo Egitoocidental,[1][2] foram popularizadas nos tempos helenísticos, quando a Grande Pirâmide foi listada por Antípatro de Sídon como uma das Sete Maravilhas do Mundo. É, de longe, a mais antiga das maravilhas do mundo antigo e a única que ainda existe. no imaginário
A palavra pirâmide não provém da língua egípcia. Formou-se a partir do grego "pyra" (que quer dizer fogo, luz, símbolo) e "midos" (que significa medidas).


As Pirâmides de Gizé consistem na Grande Pirâmide de Gizé (a Grande Pirâmide, conhecida como a Pirâmide de Quéops ou Khufu), a um pouco menor Pirâmide de Quéfren (ou Chephren) algumas centenas de metros a sul-oeste, e as relativamente modestas Pirâmide de Miquerinos (ou Menkaure) algumas centenas de metros mais ao sul-oeste. A Grande Esfinge encontra-se no lado leste do complexo. O consenso atual entre os egiptólogos é que a cabeça da esfinge é a de Quéfren. Junto com estes monumentos mais importantes estão uma série de edifícios satélites menores, conhecidos como "pirâmides das rainhas", calçadas e pirâmides do vale.[3]
As pirâmides de Gizé foram registradas no Projeto de Mapeamento do planalto de Gizé, executado pela Associação de Pesquisa do Egito Antigo (APEA), dirigida pelo Dr. Mark Lehner. Além disso, a equipe de Lehner empreendeu a datação por radiocarbono em material recuperado a partir do exterior da Grande Pirâmide.[4] As pesquisas em campo de 2009 da APEA foram registradas em um blog.[5]


O complexo de pirâmides de Khufu (ou Quéops) pirâmide consiste num Templo do Vale, agora enterrado sob a aldeia de Nazlet el-Samman; pavimentação de basalto e paredes de pedra calcária foram encontrados, mas o sítio ainda não foi escavado.[6][7] O Templo do Vale era ligado a uma ponte que foi em grande parte destruída quando a aldeia foi construída. A ponte levava ao templo funerário de Quéops. Deste templo somente o pavimento de basalto permanece. O templo mortuário era conectado a pirâmide do rei. A pirâmide do rei tem três pirâmides das rainhas menores a ela associadas e cinco fossos de barcos.[8] Um dos fossos de barcos contém um navio e os dois fossos no lado sul da pirâmide ainda continham navios intactos. Um desses navios foi restaurado e está em exibição. A Pirâmide de Quéops mantém uma coleção limitada de carcaças de pedras em sua base. Essas pedras de revestimento eram feitas de pedra calcária branca e fina extraída a partir da cordilheira Muqattam, próxima ao local.[3]
Pouco se sabe a respeito do rei Kufu. As lendas dizem que ele era um tirano, fazendo de seu povo escravosrio Nilo estava inundado e não havia trabalho para ser feito nas fazendas. Alguns registros mostram que as pessoas que trabalharam nas pirâmides foram pagas com cerveja.[9][10] para a realização do trabalho. É possível, porém que os egípcios comuns considerassem uma honra e um dever religioso trabalharem na Grande Pirâmide. Além disso, a maior parte do trabalho na pirâmide ocorreu durante os quatro meses do ano quando o
O paradeiro do corpo de Kufu é desconhecido, bem como os tesouros enterrados com ele. A pirâmide foi roubada há alguns milhares de anos. Todos os reis do Egito foram vítimas de ladrões de túmulos - exceto um, chamado Tutankhamon (ou Rei Tut Ankh Âmon'. Os tesouros de ouro da tumba de Tutankhamon foram descobertos em meio a riquíssimos tesouros por Lord Carnavon e seu amigo Howard Carter, em 1922.


O complexo de pirâmides de Quéfren (ou Khafre) pirâmide consiste em um Templo do Vale (por vezes referido como templo da esfinge), uma ponte, um templo mortuário e a pirâmide do rei. O Templo do Vale possui várias estátuas de Khafre. Vários foram encontradas em um poço no chão do templo por Mariette, em 1860. Outros foram encontrados durante as escavações sucessivas de Sieglin (1909-1910), Junker, Reisner e Hassan. O complexo de Quéfren continha cinco barcos escavados e uma pirâmide subsidiária com um serdab.[8]
A Pirâmide de Quéfren parece ser maior que a adjacente Pirâmide de Quéops em virtude de sua localização mais elevada e pelo ângulo de inclinação da construção ser mais íngreme; a pirâmide é, de fato, menores em altura e volume. A Pirâmide de Quéfren mantém um aparato proeminente de pedras de revestimento em seu ápice.[3]




A Pirâmide de Miquerinos (ou Menkauré) corresponde a um complexo que contém um Templo do Vale, uma ponte, um templo mortuário e a própria pirâmide do rei. O Templo do Vale possui várias estátuas de Miquerinos. Durante a V dinastia egípcia um ante-templo menor foi adicionado ao Templo do Vale. O templo funerário também tem várias estátuas de Miquerinos. A pirâmide do rei tem três pirâmides da rainha secundárias.[8] Dos quatro principais monumentos, apenas a Pirâmide de Miquerinos é vista hoje sem o seu invólucro de pedra calcária polida original.[3]


Estas três majestosas pirâmides foram construídas como tumbas reais para os reis Kufu (ou Quéops), Quéfren, e Menkaure (ou Miquerinos) - pai, filho e neto. A maior delas, com 146,6 m de altura (49 andares), é chamada Grande Pirâmide, e foi construída cerca de 2550 a.C. para Kufu, no auge do antigo reinado do Egito.
As pirâmides de Gizé são um dos monumentos mais famosos do mundo. Como todas as pirâmides, cada uma faz parte de um importante complexo que compreende um templo, uma rampa, um templo funerário e as pirâmides menores das rainhas, todo cercado de túmulos (mastabas) dos sacerdotes e pessoas do governo, uma autêntica cidade para os mortos. As valas aos pés das pirâmides continham botes desmontados: parte integral da vida no Nilo sendo considerados fundamentais na vida após a morte, porque os egípcios acreditavam que o defunto-rei navegaria pelo céu junto ao Rei-Sol. Apesar das complicadas medidas de segurança, como sistemas de bloqueio com pedregulhos e grades de granito, todas as pirâmides do Antigo Império foram profanadas e roubadas possivelmente antes de 2000 a.C.
A Grande Pirâmide, de 450 pés de altura, é a maior de todas as 80 pirâmides do Egito. Se a Grande Pirâmide estivesse na cidade de Nova Iorque por exemplo, ela poderia cobrir sete quarteirões. Todos os quatro lados são praticamente do mesmo comprimento, com uma exatidão não existente apenas por alguns centímetros. Isso mostra como os antigos egípcios estavam avançados na matemática e na engenharia, numa época em que muitos povos do mundo ainda eram caçadores e andarilhos. A Grande Pirâmide manteve-se como a mais alta estrutura feita pelo homem até a construção da Torre Eiffel, em 1900, 4.400 anos depois da construção da pirâmide.
Para os egípcios, a pirâmide representava os raios do Sol, brilhando em direção à Terra. Todas as pirâmides do Egito foram construídas na margem oeste do Nilo, na direção do sol poente. Os egípcios acreditavam que, enterrando seu rei numa pirâmide, ele se elevaria e se juntaria ao sol, tomando o seu lugar de direito com os deuses.
Existem três passagens dentro da Grande Pirâmide, levando às três câmaras. A maioria das pirâmides tem apenas uma câmara mortuária subterrânea, mas enquanto a pirâmide ia ficando cada vez mais alta, provavelmente Kufu mudou de idéia, duas vezes. Ele finalmente foi enterrado na Câmara do Rei, onde a pedra do lado de fora de seu caixão - chamado sarcófago - está hoje. (A câmara do meio foi chamada Câmara da Rainha, por acidente. A rainha foi enterrada numa pirâmide muito menor, ao lado da pirâmide de Kufu).


By: Rafaela

Nenhum comentário:

Postar um comentário