8 de jun de 2012

História da Semana - Trânsito de Vênus



Um trânsito de Vênus é a passagem astronômica do planeta Vênus diante do Sol, visto da Terra, ocultando uma pequena parte do disco solar. Ocorre quando o Sol, Vênus e a Terra se encontram alinhados. Um trânsito de Vênus é semelhante ao eclipse solar pela Lua. Apesar de o diâmetro de Vênus ser quatro vezes maior que o da Lua, aparece bem menor durante o trânsito devido à maior distância entre o planeta e a Terra. O tempo da passagem é medido em horas; a ocorrência de 2004 teve a duração de 6 horas. Antes da era espacial, a observação dos trânsitos de Vênus era utilizada para calcular a distância Terra-Sol pelo método da paralaxe.
Os trânsitos de Vênus estão entre os fenômenos astronômicos previsíveis menos frequentes. Ocorrem numa sequência que se repete a cada 243 anos, com pares de trânsitos espaçados de 8 anos, seguidos de longos intervalos de 121,5 e 105,5 anos. Esta periodicidade é reflexo do fato de que os períodos orbitais da Terra e Vênus mantêm ressonâncias próximas a 8:13 e 243:395. Antes da ocorrência de 2004, o último par de trânsitos ocorreu em dezembro de 1874 e dezembro de 1882. No século XXI, o primeiro trânsito ocorreu em 8 de junho de 2004 e o segundo em 6 de junho de 2012. Após 2012, o próximo par de trânsitos será em 2117 e 2125.[1][2]
Um trânsito de Vênus pode ser observado com segurança tomando-se as mesmas precauções usadas nas observações das fases parciais de um eclipse solar. Olhar diretamente para o disco brilhante do Sol (a fotosfera) com olhos desprotegidos pode rapidamente causar danos oculares sérios e, com frequência, permanentes.[3]

2012

  Solar Dynamics Observatory.     Imagem do trânsito (2012) obtida pela sonda
 
O trânsito do planeta Vênus entre a Terra e o Sol começou pouco depois das 22h03m (UTC) e na comunidade lusófona o evento pode ser observado a partir do Timor-Leste, Macau, extremo oriente de Angola, Moçambique e em 3 estados da região norte do Brasil (Amazonas, Acre e Roraima)[28][29][30]. Em Portugal a transição não pode ser vista, pois o país não estava na zona de observação do fenômeno [31]. Foi observado também na América do Norte, América Central e parte do norte da América do Sul. A Austrália foi o melhor local para acompanhar o fenômeno, com quase sete horas de visibilidade na zona oriental e central do país.[32] O fim do fenômeno foi observado durante a manhã em parte da Europa, Oriente Médio e Ásia meridional. A observação do fenômeno foi dificultada em grande parte da China, devido ao céu encoberto por nuvens, e no leste do Japão, por causa da aproximação de um tufão. Astronautas da Estação Espacial Internacional – o único local com presença humana fora da Terra - também acompanharam a passagem de Vênus. Na maior parte da América do Sul, África ocidental e do sudoeste, o fenômeno não pôde ser observado.[33][34]Algumas organizações festejaram o trânsito de 2012 com grande antecipação, incluindo um grupo que organiza festividades e observações no Taiti.[35] O evento foi uma oportunidade para os cientistas estudarem os movimentos ondulares, as forças gravitacionais, a densidade da atmosfera de Vênus e outros aspectos. Os dados foram recolhidos e os resultados não serão vistos imediatamente, uma vez que os estudos que apresentarão as primeiras descobertas só serão concluídos em meses.[36][37] Calcula-se que a próxima passagem de Vênus entre o Sol e a Terra ocorrerá em 2117.

By: Rafaela

Nenhum comentário:

Postar um comentário